Canudinhos de plástico: por que não usar?

NA NATUREZA

Há diversos relatos de ambientalistas, biólogos e voluntários que encontraram animais com grande quantidade de resíduos plásticos no estômago, o que causou sérios danos à saúde, e muitas vezes a morte.

Atualmente, este pequeno objeto, aparentemente inofensivo, revelou ser um grande inimigo do meio ambiente.  Mas você sabe por quê?

Os canudos não podem ser reciclados, ou seja, mesmo que seja descartado corretamente, ao chegar no momento de separação do lixo reciclável, eles acabam não sendo recolhidos por serem leves demais. Com isso, milhares deles seguem para os aterros sanitários, chegando aos oceanos.

Nos oceanos, os canudos vão, lentamente, se separando em pedaços menores, formando os microplásticos, que são frequentemente confundidos com alimentos pelos animais marinhos.

Você usa

Canudinho dura

minutos

ANOS

Os canudos existem há milhares de anos. Eles já foram feitos de ouro e pedras preciosas, de centeio, de palha e até de papel coberto com parafina. Quando o plástico começou a ser usado com mais frequência pelas fábricas, por ser mais barato, rapidamente os canudinhos passaram a ser produzidos com este tipo de material.

A campanha The last plastic straw (em português: O último canudo plástico) traz alguns conselhos para quem quer ajudar essa causa:

1. Comprometa-se a dizer não ao canudo de plástico. 

2. Aconselhe restaurantes e lanchonetes que você frequenta a só fornecer canudos a quem pedir.

3. Encoraje-os a ofertar ao clientes canudos que não sejam de plástico. Ou seja, o canudo pode ser de vidro, de papel e até de aço inoxidável.

Que tal dizer não ao canudo?

NO BRASIL

Segundo o site Cidades Inteligentes, até maio deste ano, mais de 30 cidades brasileiras já proibiram a comercialização e distribuição de canudos plásticos. Para saber se sua cidade está nessa lista, acesse o site: <https://ci.eco.br/saiba-quais-as-cidades-que-ja-proibiram-o-canudo-plastico/>. 

VOCÊ SABIA?

Fonte: Plastic Pollution Coalition / Cidades Inteligentes / Ecycle.